[Semideuses] The Mark of Athena – Primeiro capítulo e Book Trailer

Olá…
Faltando 3 dias para The Mark of Athena trazemos para vocês uma versão completa e traduzida do primeiro capítulo do novo livro de Rick Riordan. Também trazemos com exclusividade o book-trailer legendado.

O primeiro capítulo:

I
Annabeth

Até ela se encontrar com a estátua explosiva, Annabeth pensou que estava preparada para qualquer coisa.
Ela andava pelo convés do seu navio de guerra voador, o Argo II, verificando e checando a balística para ter certeza que estavam trancadas. Ela confirmou que a bandeira branca da paz voava no mastro. Ela reviu o plano com o resto da tripulação. E o Plano B, e o plano B para o plano B.
Mais importante ainda, ela retirou o seu acompanhante de guerra enlouquecido, Gleeson Hedge, e encorajou-o a tirar a manhã de folga em sua cabine assistindo a reprise de um campeonato de artes marciais mistas. A última coisa que precisavam, pilotando um remo grego para um acampamento romano potencialmente hostil, era um sátiro de meia-idade usando roupas de ginastica acenando um bastão e gritando “MORRA!”.
Tudo parecia estar em ordem. Mesmo aquele misterioso calafrio que ela vem sentindo desde que a navio lançou parecendo ter se dissipado. Pelo menos por enquanto.
A embarcação de guerra desceu das nuvens, mas Annabeth não pode parar por um segundo de pensar consigo. E se isso for uma má ideia? E se os Romanos entrarem em pânico e atacarem o navio?
O Argo II definitivamente não parecia amigável. Duzentos metros de comprimento com um casco de bronze, um dragão flamejante de metal no mastro dianteiro, balestras montadas repetidamente que podiam disparar flechas explosivas poderosas o suficiente para destruir concreto. Bem, não era a viagem mais apropriada para dizer um “olá” para os vizinhos.
Annabeth tentou dar para os romanos um aviso que estavam chegando. Ela pediu para Leo enviar uma de suas invenções especiais, um pergaminho holográfico, para alertar seus amigos dentro do acampamento. Esperemos que a mensagem tenha chegado até lá. Leo queria pintar uma mensagem gigante na base do casco, “E ai?” e um rosto sorridente, mas Annabeth vetou a ideia. Ela não tinha certeza se os Romanos tinham bom senso de humor.
Tarde demais para voltar agora.
As nuvens se quebraram em torno do casco, revelando as colinas verdes e douradas de Oakland abaixo deles. Annabeth agarrou um de seus escudos de bronze que ladeavam a grade a estibordo.
Seus três tripulantes tomaram suas posições.
No convés da popa, Leo limpava os painéis a sua volta como um louco, a fim de verificar seus medidores e alavancas. A maioria dos timoneiros teria ficado satisfeitos com um simples timão ou um leme. Leo tinha instalado teclados de controle de aviação de um learjet, uma mesa de mixagem de som e um controle de sensores de movimentos de um Nintendo Wii. Ele poderia disparar o navio puxando o acelerador ou acionar as armas por amostragem, um álbum ou levantar as velas agitando seu controle de Wii rapidamente.  Mesmo para os padrões de semideus, Leo tinha uma hi
Piper passeava para lá e para cá atrás do mastro principal, praticando suas falas. “Abaixe as suas armas”, ela murmurou, “nós só queremos conversar”.
Seu charme era tão poderoso que as palavras fluíram sobre Annabeth, preenchendo-a com o desejo de largar sua adaga e ter uma conversa longa e agradável.
Para uma filha de Afrodite, Piper realmente tentou  com dificuldade subestimar a sua beleza. Hoje ela estava vestida de calça jeans rasgadas, tênis desgastado, e uma regata branca com desenhos cor de rosa da Hello Kitty. (Talvez uma piada? Annabeth jamais poderia ter esta certeza com Piper). Seu cabelo castanho era entrecortado trançado para o lado direito com penas de uma águia.
E então havia a namorado de Piper, Jason. Ele estava na proa em um arco na plataforma elevada onde os romanos poderiam facilmente localizá-lo. Os nós dos dedos estavam brancos no punho da sua espada. Caso contrário, ele estaria muito calmo para um cara que estava se tornando um alvo. Sobre os seus jeans e sua camisa laranja do Acampamento Meio-Sangue, estava vestindo uma toga e um manto roxo, símbolos de seu posto antigo como pretor. Com o vento em seus cabelos loiros e seus gélidos olhos azuis enrugados, ele olhou robustamente formoso, assim como um filho de Júpiter deveria. Ele cresceu no Acampamento Júpiter, por isso espero que o seu rosto familiar faça os romanos hesitarem em explodir eles no céu.
Annabeth tentou lutar contra isso, mas ela não confiava completamente nesse cara. Ele agiu perfeito demais, sempre seguindo as regras, sempre fazendo algo honroso. Ele mesmo parecia muito perfeito. No fundo de sua mente, ela não parava de pensar ‘talvez isso era um truque e ele nos traiu. E se navegarmos para o Acampamento Júpiter ele dirá: “Ei, romanos! Confira estes prisioneiros e este navio legal que eu trouxe para vocês”.
Annabeth  achava que ele não faria isso, mas ainda assim. Ela não podia olhar para ele sem ter um gosto amargo na boca. Ele participa do plano de Hera na troca forçada entre os dois acampamentos. Sem avisar, Hera tinha arrancado Percy Jackson, o namorado de Annabeth, limpou a memória e o enviou para este acampamento romano. Em troca, os gregos receberam Jason. Nada disso era culpa de Jason, mas cada vez que Annabeth olhava para ele, lembrava o quanto ela sentia falta de Percy.
Percy poderia estar abaixo deles agora.
Pelos deuses. O pânico tomou conta dentro dela.
“Eu sou uma filha de Atena”, disse ela para si mesma: “Eu tenho que manter meu plano e não me distrair”.
Então ela o sentiu novamente, que arrepio familiar, como se um do boneco de neve do mal tivesse se arrastado até logo atrás dela e estava respirando em seu pescoço. Ela se virou, mas ninguém estava lá.
Deve ser os nervos. Mesmo em um mundo de deuses e monstros, Annabeth não poderia acreditar que um novo Navio de Guerra poderia ser caçado. O Argo II estava bem protegido. Os escudos de bronze celestial na borda eram encantados para destruir monstros e o sátiro a bordo, Treinador Hedge, teria cheirado os intrusos.
Annabeth desejava que ela pudesse orar para sua mãe pedindo ajuda, mas agora isso era impossível. Não no mês passado desde que ela teve um encontro horrível com sua mãe e tinha conseguido o pior presente de sua vida…
O frio pressionava mais perto. Ela achou que havia escutado uma voz do vento, rindo. Todos os músculos do seu corpo ficaram tensos. Ela sabia que algo estava prestes a dar terrivelmente errado.
Ela quase mandou Leo reverter o curso. E então, no vale abaixo, cornetas soaram. Os romanos haviam avistado eles.
Annabeth pensou que ela sabia o que esperar. Jason havia descrito o Acampamento Júpiter para ela em grandes detalhes. Ainda assim, ela teve dificuldade em acreditar no que seus olhos viam. Rodeado pelas colinas de Oakland, o vale era pelo menos duas vezes o tamanho do Acampamento Meio-Sangue. Um pequeno rio serpenteava em torno de um lado e enrolava em direção ao centro como um G maiúsculo, esvaziando num cintilante lago azul.
Diretamente abaixo do navio, situada na beira do lago, a cidade de Nova Roma brilhava à luz do sol. Ela reconheceu os marcos de que Jason tinha falado – o hipódromo, o coliseu, os templos e parques, o bairro Sete Colinas com suas ruas sinuosas, casas coloridas, e jardins floridos.
Ela viu indícios da recente batalha dos romanos contra um exército de monstros. A cúpula estava rachada na abertura de um edifício que ela supôs ter sido a Casa do Senado. A ampla praça do fórum fora esburacada em crateras. Algumas fontes e estátuas estavam em ruínas. 
Dezenas de crianças em togas estavam saindo da Casa do Senado para obter uma visão melhor do Argo II. Mais romanos emergiram das lojas e cafés, olhando boquiabertos e apontando enquanto o navio descia. 
Cerca de meio quilômetro a oeste, onde as cornetas estavam soprando, um forte romano erguia-se numa colina. Parecia assim como as ilustrações que Annabeth vira em livros de história militar – com uma trincheira defensiva revestida com picos, muros altos, e torres de observação armadas de escorpiões e balistas. Dentro, as fileiras perfeitas de alojamentos brancos revestiam a estrada principal – a Via Principalis. 
Uma coluna de semideuses emergiu dos portões, suas amuradas e lanças reluzindo de tão rápido que correram em direção a cidade. Em meio a suas fileiras tinha um elefante de guerra.
Annabeth queria aterrissar o Argo II antes que as tropas chegassem, mas o solo ainda estava a várias centenas de metros abaixo. Ela vasculhou a multidão, na esperança de conseguir ver Percy de relance.
Então, algo atrás dela fez BOOM!
A explosão quase a jogou para fora da borda. Ela girou e encontrou-se frente a frente com uma estátua furiosa.
– Inaceitável. – a estátua guinchou. 
Aparentemente ele mesmo se explodira, bem ali no deck. Uma fumaça amarela rolava pelos seus ombros. Cinzas surgiram em torno de seu cabelo encaracolado. Da cintura para baixo, ele não passava apenas de um pedestal de mármore. Da cintura para cima, era uma figura humana musculosa numa toga esculpida.
– Eu não vou aceitarei armas dentro da Linha Pomeriana! – ele anunciou em uma voz de professor exigente. – Eu certamente não permitirei gregos aqui!
Jason disparou a Annabeth um olhar que disse “Deixe isso comigo”.
– Término – ele disse. – Sou eu, Jason Grace!
– Oh, eu lembro de você, Jason! – Término resmungou. – Eu pensei que você tivesse um senso melhor para se envolver com os inimigos de Roma!
– Mas, eles não são inimigos…
 – Está certo – Piper pulou. – Nos só queremos conversar. Se pudéssemos….
  – Ha! – sibilou a estátua. – Não tente usar seu charme comigo, minha jovem. E abaixe esta adaga, antes que eu o tire de suas mãos!
Piper olhou a adaga de bronze, que aparentemente havia esquecido que estava segurando.
– Hum … ok. Mas como é que você irá tirar das mãos dela? Você não tem braços.
– Impertinente! – Houve um POP afiado e em seguida um flash amarelo. Piper gritou e deixou cair o punhal, que agora estava fumaçando e acendendo.
– Sorte a sua que eu acabei de sair de uma batalha. – Término anunciou. – Se eu estivesse em plena força, eu teria explodido esta monstruosidade voadora pelos ares!
– Espera aí. – Leo avançou, abanando o controle do Wii. – Você acabou de chamar o meu navio de monstruosidade? Eu sei que você não fez isso.
A ideia de que Leo poderia atacar a estátua com o seu dispositivo de jogo, foi o suficiente para tirar Annabeth de seu estado de choque.
– Vamos todos nos acalmar. – Ela levantou as mãos para mostrar que ela não tinha armas. –Acho que você é Terminus, o deus dos limites. Jason me disse que você proteger a cidade de Nova Roma, certo? Eu sou Annabeth Chase, filha de…
– Oh, eu sei quem você é! – A estátua olhou para ela com os seus olhos brancos vazios. – Uma filha de Atena, a forma grega de Minerva grega. Escandaloso! Vocês gregos não têm senso de decência. Nós Romanos conhecemos o lugar adequado para essa deusa.
Annabeth apertou sua mandíbula. Esta estátua não estava tornando fácil a diplomacia.
– O que exatamente você quer dizer com essa deusa? E o que é tão escandaloso sobre…
– Certo! – Jason interrompeu. – De qualquer forma Término, estamos aqui em uma missão de paz. Nós adoraríamos ter permissão para pousar, para que pudéssemos…
– Impossível! – O deus rangia. – Abaixe suas armas e se rendam! Deixem minha cidade imediatamente!
– Qual das? – Leo perguntou. – Render-se, ou sair?
– Ambos! – Terminus disse. – Renda-se e em seguida saia. Estou batendo em seu rosto por fazer uma pergunta tão estúpida, menino ridículo! Você sente isso?
– Wow – Leo estudou Término com interesse profissional. – Você está bastante acabado. Você tem engrenagens que precisam de afrouxamento? Eu poderia dar uma olhada.
Ele trocou o controlador de Wii por uma chave de fenda de seu cinto de ferramentas mágico e deu algumas batidas no pedestal da estátua.
– Pare com isso! – Término insistiu. Outra pequena explosão que fez cair à chave de fenda de Leo. – Armas não são permitidas em solo romano dentro da Linha Pomeriana.
– O que é isso? – Piper perguntou.
– Os limites da cidade – Jason traduziu.
– E este navio inteiro é uma arma! – Término disse. – Vocês não podem pousar!
Lá embaixo, no vale, os reforços da legião estavam a meio caminho para a cidade. A multidão no fórum era mais de uma centena forte agora. Annabeth verificou os rostos e. . . oh, deuses. Ela o viu. Ele estava caminhando em direção ao navio, com os braços em torno de duas outras crianças como se eles fossem melhores amigos – um menino forte com um corte meio raspado, e uma garota vestindo um capacete romano de cavalaria. – Percy parecia tão à vontade, tão feliz. Ele usava uma capa roxa assim como a de Jason – a marca de um pretor.
O coração de Annabeth deu uma reviravolta com em uma rotina de ginástica.
– Leo, pare o navio – ela ordenou.
– O quê?
– Você me ouviu. Mantenha-nos exatamente onde estamos.
Leo puxou seu controle e puxou-o para cima. Todos os noventa remos ficaram imóveis no lugar. O navio parou de afundar.
– Término – Annabeth disse – não há nenhuma regra contra pairar sobre Nova Roma, não é?
A estátua franziu a testa.
– Bem, não. . .
– Podemos manter o navio no alto – disse Annabeth. – Nós vamos usar uma escada de corda para chegar ao fórum. Dessa forma, o navio não estará em solo romano. Não tecnicamente.
A estátua parecia refletir sobre isso. Annabeth se perguntava se ele estaria coçando o queixo com as mãos.
– Eu gosto de detalhes técnicos  – ele admitiu. Mesmo que…
– Todas as nossas armas irão ficar a bordo do navio – Annabeth prometeu. – Suponho que os romanos, mesmo aqueles reforços marchando em direção a nós, também terão de honrar as suas regras dentro Linha Pomeriana caso você lhes diga, certo?
– Claro! – Terminus disse. – Eu pareço tolerar quebradores de regras?
– Uh, Annabeth… – Leo disse. – Tem certeza que esta é uma boa ideia?
Ela fechou os punhos para mantê-los sem tremer. A sensação ruim ainda estava lá. Isso flutuou logo atrás dela, e agora que Terminus não estava mais gritando e causando explosões, ela acreditava que podia ouvir a presença daquele riso, como se estivesse encantado com as más escolhas que ela estava fazendo.
Mas Percy estava lá embaixo… ele estava tão perto. Ela tinha que alcançá-lo.
– Vai ficar tudo bem – disse ela. – Ninguém vai estar armado. Podemos falar em paz. Terminus irá certificar se cada lado obedecerá às regras. – Ela olhou para estátua de mármore. – Temos um acordo?
Término fungou. – Creio que sim. Por enquanto. Você pode descer com sua escada para Nova Roma, filha de Atena. Por favor, tente não destruir a minha cidade.

E o book trailer:

Fiquem com os deuses e que a sorte esteja sempre a seu favor!
Fonte do capítulo (adaptado)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s