[T&S] Res. de Cinema | Eu Sou o Número Quatro

Eu queria iniciar minha parte no blog sem nenhum resquício de negativismo, mas me vejo impossibilitado de isso acontecer.

Antes de começar, devo-lhe avisar: o filme resenhado é uma adaptação literária homônima. O autor desta resenha não teve o prazer de ler tal livro, porém pretende realizar tal ação.
Sendo assim: A CRÍTICA A SEGUIR É DO FILME E NÃO DO LIVRO.

Eu Sou o Número Quatro

Crítica cinematográfica

A década passada e a atual foram recheadas de franquias adaptadas de livros. Algumas funcionaram monetariamente e criticamente e outras falharam em roteiro, elenco. Algumas até miseravelmente. Eu Sou o Número Quatro é mais uma dessas franquias, porém fica no meio termo. Não é excelente, muito menos horrível.
Estrelado por Alex Pettyfer, Dianna Agron, Jake Abel e Teresa Palmer, o longa conta a história de um planeta, chamado Lorien ter sido invadido por Morgadorianos. O povo desse planeta, seleciona 9 crianças especiais com 9 guerreiros e os manda para a Terra. Tais crianças possuem poderes, dos quais não tem conhecimento, muito menos treinamento. Cada guerreiro é designado para proteger cada criança, pois os Morgadorianos estão caçando as crianças escolhidas, pois elas são as únicas capazes de lhes derrotar.
Com uma sinopse boa e um desenvolvimento ótimo, o filme no seu geral, é bom. Porém há algumas falhas, como Pettyfer não ter uma expressão facial convincente durante os primeiros 30 minutos do filme. Mas quando John, o personagem de Alex Pettyfer começa a se envolver com Sarah, personagem de Agron, o protagonista fica mais real, mais humano, inclusive.
Outro problema que depois se torna qualidade é a trilha sonora. Com uma trilha instrumental no início, o filme ganha uma trilha diversa que vai até Adele.
A personagem Número Seis, chega ao som de Adele em estilo explosivo. Teresa Palmer, sua intérprete, consegue convencer como uma mercenária fria, que é a mensagem dada por ela.
Kevin Durand é o vilão, o chefe dos Morgadorianos. Ele tem uma face diferente, por conta de sua origem alienígena. Ele consegue ser o vilão através da maquiagem, sem problema nenhum.
Abaixo meu chapéu para Dianna Agron, uma atriz que consegue ser meiga na telona, esquecendo seu papel na telinha, onde ela é a líder-de-torcida vadia, modelo que todos odeiam (sim, é você Glee).
Outro ator que consegue se destacar é Jake Abel, que interpreta um bully se fingindo de amigo. Ele interpreta um quarterback (zagueiro) de futebol americano que implica com John, por causa de Sarah, qual ele costumava namorar.
Com uma direção desconhecida, porém plausível de pé, o filme tem efeitos especiais ótimos e muitas explosões (é o esperado do produtor, Michael Bay) e lutas, porém é um filme para adolescentes muito bem feito, que você pode acabar esquecendo que é um filme teen.
O filme tem potencial para continuações, porém esse filme não se foca nas histórias futuras e sim na história sendo contada, o que causa um filme centrado e uma introdução muito boa.
I Am Number Four - Eu Sou o Número QuatroI Am Number Four
2011, EUA – 109-110 min.
Ação | Aventura | Romance | Ficção Cientifica
Dirigido por D.J. Caruso
Estrelado por Alex Pettyfer, Dianna Agorn, Jake Abel, Teresa Palmer, Callan McAuliffe, Kevin Durand.

Qualificação Final:
07.5 de 10.0

Resenha escrita por
Will
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s