[T&S] Res. Literária | 50 Tons de Cinza

Há muito tempo eu ouvi vários rumores sobre 50 tons, mas não me interessei muito, para mim o livro era mais uma dessas febres que surgiam e logo cairiam no esquecimento, passaram alguns meses e os rumores, os comentários mais diversos possíveis só se intensificavam e eu instigada por saber o que me aguardava, que universo aquele livro me apresentaria fui buscar e eis o grande tema do livro: sexo. Mas não abordado como de prache vemos em tantas histórias em que o mocinho e a mocinha se apaixonam, namoram, transam e tudo mais, não mesmo. Tudo ao contrário, 50 tons de cinza vira essa fita clichê toda do avesso. Narrado em primeira pessoa o livro conta a história de Anastacia Steele, uma jovem mulher que não apresenta uma grande vida amorosa e nenhuma sexual. Não por falta de oportunidade, Ana como tantas outras garotas imagina que um cara certo vai chegar e wow, vai mudar a vida dela, ela vai se apaixonar e vai acontecer… E acontece, mas não dessa maneira. Christian Grey entra na vida dela como um furacão e vai derrubando tudo. Cavalheiro? Esqueça, Christian pode ser educado, mas seu tipo está bem longe disso. Romântico? Nem imagine ele assim, é perca de tempo. Nenhum adjetivo comum o define e acho o que chega mais perto de defini-lo são: desejável e atraente. O desejo que impulsiona o envolvimento dos dois para frente e atração continua que os mantém interessados um no outro. Tudo seria até normal – na medida do possível – se os fantasmas de Grey não começassem a aparecer e a partir daí, desse momento eu entendi o porque desse livro chocar e se tornar tão popular em tão pouco tempo, o livro trata sobre as fantasias mais ocultas que o ser humano pode ter na hora do sexo, e não falo de um chicotinho na mão, um tapinha, uma fantasia ou algo do tipo, falo de algo mais profundo, visto com muito preconceito por ai: sadomasoquismo. Nunca tinha lido um livro do gênero e confesso que me surpreendi. Apesar de a escrita da autora não ser muito boa ela se supera nas descrições e tudo acontece, apesar de ser um livro longe da perfeição 50 tons de cinza – e a trilogia como um todo – não deixam de manter uma posição que eu diria até de “realeza” entre os demais do gênero. É o tipo de livro que até quem não gosta acaba lendo pra saber como termina. A autora mesmo disse em nota “Não é nenhuma obra de arte”, mas funciona não? Uma espécia de livro chiclete e seu mérito não é pouco, afinal, não é qualquer livro que a partir do momento que você terminar de ler essa resenha já terá vendido mais de 40 exemplares pelo mundo.E apesar de ser uma fanfic de Twilight (muitos desconhecem esse fato) eu achei que os pontos certos foram aproveitados e os em que Meyer errou Erika James buscou aperfeiçoar em seus personagens. O livro me ganhou, não entrou para os meus favoritos, mas entrou para os especiais. O tipo de livro que eu recomendo para meus amigos íntimos (não quero que qualquer um pense que sou pervertida, ne?) não pelo gênero ou pelas cenas hot, mas porque a historia é realmente interessante a sua maneira. E é isso, keep calm e descubram os 50 tons e Christian Grey! Haha.


Resenha escrita por
Letícia

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s